domingo, 29 de maio de 2011

Coppélia, pelo Bolshoi, ao vivo para o mundo.

Dando continuidade ao projeto de difusão da cultura clássica do ballet, nesse domingo foi transmitido ao vivo o espetáculo Coppélia, pelo Bolshoi, para cinemas do país e do mundo. Aqui em Recife deu boa bilheteria e a platéia, muito heterogênea, parecia estar mais à vontade para aplaudir. Foi maravilhoso!
Segue um trecho da dança escocesa, desempanhada pela personagem Isvanilda, disfarçada de boneca Coppélia, todas incorporadas por Natália Osipova.
video

domingo, 8 de maio de 2011

Bom para a alma e para o bolso

Você gosta de ballet? Então quanto lhe custaria ir até a Rússia assistir a um espetáculo? Dependendo da localização no Mariinsky Theatre, apenas a entrada ficaria entre 118 a 462 dólares. E aí, melhor nem calcular passagem, alimento e estadia. A cultura, muitas vezes não é tão acessível assim.

Um veículo da cultura pop está disponibilizando esse acesso ao teatro russo, fazendo você se sentir dentro dele. O ballet de repertório, aquele que conta uma história e precisa de um corpo de baile para isso, veio para perto do público através do cinema. Esse recurso, já usado lá fora, chegou ao Brasil há pouco mais de um ano. Já estreou na telinha O quebra Nozes, pelo Bolshoi, transmitido ao vivo, direto de Moscou, em tecnologia de alta definição.

Agora foi a vez de Giselle, O primeiro espetáculo em 3D no mundo. Produzido pelo Theatro Mariinsky, em São Petersburgo, a estória conta os atropelos de uma camponesa que se apaixona por um “camponês” e depois descobre que ele é comprometido e é um nobre. O enredo passa pelo encantamento, pela euforia, percorre a decepção até chegar à morte, onde são vivenciados o reencontro e o perdão. Tudo regado à mais perfeita técnica que os russos mostram tão bem.

O espetáculo inicia apresentando detalhes da orquestra. E quando a cortina sobe, o espectador vai aos poucos se esquecendo de onde está, e mergulhando naquele ambiente de pura magia, que em 3D permite ver minúcias, como a sapatilha já marcada pelo uso de sua bailarina.

A grande estrela é a bailarina Natalia Osipova, que parece ter asas por saltar tão alto e com tanta leveza. Bailarina do Bolshoi, na infância dedicou-se à ginástica até levar uma séria queda e ter que se afastar dos treinos definitivamente. Os treinadores a aconselharam ir para o ballet. Formada pela Academia do Bolshoi em 2004, Natália foi aceita no corpo do balé e não parou mais de se destacar.

Seu primeiro papel como solista foi exatamente em Giselle, em 2004. Aí vieram "Les Sylphides", onde dançou a valsa, “O Quebra Nozes”, onde fez a boneca espanhola, “Dom Quixote”, com a noiva espanhola, e “Cinderela”, com a Fada do Outono, de uma extensa lista de destaques.

O fato é que por R$ 50,00 é possível adentrar nesse mundo, muitas vezes tão distante e específico. Mas à medida que a tecnologia avança, novas possibilidades de divulgação da cultura também caminham. Pois não há quem não goste do que é belo, do que busca a perfeição e do que nos faz levitar. Bravo para quem teve essa idéia! Hoje eu estive em São Petersburgo!
video